Hubs logísticos: o que são e como escolher os melhores locais?

Hubs logísticos: o que são e como escolher os melhores locais?

Entre as inúmeras tendências no varejo nos últimos anos, vale destacar o advento dos chamados hubs logísticos, locais estratégicos escolhidos pelas empresas para redistribuição e escoamento mais rápido de suas mercadorias.

Afinal, o aumento das demandas de entregas e os gargalos comuns encontrados nas cadeias de distribuição, em especial nos centros urbanos, requerem soluções cada vez mais modernas e dinâmicas para a logística.

E é justamente esse o propósito dos hubs! Para entender melhor o que são e como funcionam esses “galpões estratégicos de entregas”, nós separamos algumas dicas e informações úteis sobre o tema.

Leia também: Como ter galpões logísticos dentro das capitais? Lockers são a solução!

Afinal, o que são hubs logísticos?

Na prática, os hubs logísticos são locais estratégicos para a redistribuição de mercadorias de uma empresa.

Em outras palavras, tratam-se de espaços específicos montados ou contratados pelas organizações, que se localizam em pontos essenciais para o escoamento dos seus pedidos, como grandes centros urbanos ou regiões de grandes demandas, justamente para descentralizar, otimizar e agilizar as entregas.

Em geral, os hubs logísticos podem apresentar diferentes tamanhos e infraestrutura, variando de acordo com a necessidade de cada operação.

Onde e como funcionam esses hubs logísticos?

Originalmente, estas estruturas surgiram como centros de redistribuição de cargas e, por esse motivo, o termo é tão popular no Comércio Exterior, por exemplo.

Dessa forma, CDs, galpões, armazéns, portos, aeroportos e até cidades com localização estratégica eram considerados hubs logísticos em determinadas operações.

No entanto, com a dinâmica do mercado de logística, esse conceito se expandiu para outros setores, em especial o varejo. Assim, os hubs foram também ganhando novos formatos, tamanhos e soluções, que vão além da estratégia de escoamento mais rápido e ágil dos pedidos.

Para se ter uma ideia melhor da variedade dos hubs logísticos, hoje, é possível encontrar desde grandes galpões até armários e guarda-volumes inteligentes nos centros urbanos.

Leia também: Estoque descentralizado: entregue mais em menos tempo

A seguir, nós separamos alguns exemplos de onde podem ser instalados os hubs logísticos das empresas e como eles funcionam na prática. Confira!

Centros de distribuição 

Os tradicionais centros de distribuição podem funcionar como hubs logísticos em algumas empresas, especialmente se a estrutura for localizada em um ponto estratégico para o escoamento dos pedidos.

No entanto, a realidade de muitos CDs é bem diferente disso, quase sempre operando com grandes estoques e estando localizados em áreas mais afastadas dos centros urbanos.

Nesses casos, o CD pode funcionar como um catalisador para alimentar os hubs logísticos menores, concentrando o estoque principal e redistribuindo as mercadorias para os pontos menores e mais estratégicos para a entrega.

Lockers

Os lockers oferecem diferenciais estratégicos como hubs logísticos, especialmente por terem estruturas menores e operações muito mais dinâmicas de distribuição. 

Além disso, esses “mini hubs” têm a facilidade de estarem em locais de grande fluxo, como os centros urbanos, algo que os CDs maiores dificilmente conseguem.

Dessa forma, os lockers conseguem escoar pedidos e entregas, sem mesmo ter a necessidade de armazenagem de grandes estoques e por longos períodos.

Lockers inteligentes podem ser usados como Hubs Logísticos

Transit Points

Os transit points, ou pontos de trânsito, são outra estratégia comum em hubs logísticos. Na prática, esses locais funcionam como um posto avançado de distribuição de mercadorias, mas sem a função de armazenagem.

Em outras palavras, os produtos que ali chegam, já têm um destino pré-programado, podendo seguir para a entrega em questão de poucas horas.

Ou seja, os itens já vêm prontos para a redistribuição, não precisando passar por etapas e processos comuns de um armazém, como picking, packing, expedição etc.

Os próprios lockers, que destacamos acima, podem funcionar com essa estratégia nos centros urbanos, o que permite otimizar as entregas, reduzir custos e, em alguns casos, até mesmo enxugar a estrutura de armazenagem da empresa.

Cross Docking

Aproveitando o gancho acima, um outro tipo de operação muito comum em hubs logísticos é o chamado cross docking, que na prática, visa otimizar diversos processos convencionais do supply chain.

Para exemplificar melhor, o cross docking opera com uma dinâmica mais rápida e enxuta das etapas da cadeia de suprimento, onde, por exemplo, a empresa distribui seus pedidos para os hubs logísticos, que por sua vez, vão recebê-los e distribuí-los imediatamente para seus destinos finais.

Esse tipo de operação é amplamente utilizado no e-commerce hoje e é o que permite entregas do tipo same-day delivery, por exemplo.

Quais as vantagens agregadas pelos hubs logísticos?

O primeiro benefício indiscutível de se investir em hubs logísticos é a questão da otimização e agilidade das entregas. Afinal, como bem destacamos, esses pontos de redistribuição de mercados normalmente se localizam em pontos estratégicos e muito bem localizados.

E isso é fundamental para desafogar as operações e reduzir um dos fatores mais problemáticos ainda hoje no varejo: os atrasos na entrega. Segundo o Procon-SP, essa é a maior reclamação dos clientes com compras online na atualidade!

Além disso, a possibilidade de redução de custos e até mesmo de enxugamento da estrutura de armazenagem da empresa podem ser destacados como pontos positivos dos hubs logísticos.

Por fim, a diferenciação dos serviços, experiência do consumidor e melhoramento das operações também são benefícios agregados pelos hubs logísticos.

Em resumo, essas são algumas dicas e informações úteis sobre o conceito de hubs logísticos e como essa estratégia tem permitido empresas do mundo inteiro otimizarem suas entregas e proporcionarem experiências muito mais satisfatórias aos seus clientes.

Porém, apenas para finalizar, é fundamental que a escolha dos hubs logísticos leve em consideração fatores estratégicos, como localização, infraestrutura, experiência e, principalmente, tecnologia de ponta.

A HandOver é uma das pioneiras e mais completas empresas de armários inteligentes no país, que operam como hubs logísticos nos pontos mais estratégicos dos centros urbanos brasileiros e que detêm de diferenciais exclusivos, como infraestrutura adequada e inteligência artificial aplicada em suas operações.

Se quer saber mais e como otimizar suas entregas com lockers inteligentes, não deixe de conversar com um de nossos especialistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×