O que é picking e qual sua importância na gestão de estoque? Descubra!

O que é picking e qual sua importância na gestão de estoque? Descubra!

Entre os inúmeros processos inerentes a uma gestão de estoque, vale destacar o picking como um dos mais importantes e essenciais para a eficiência de suas entregas. Afinal, essa etapa se caracteriza pela separação dos pedidos a serem carregados.

Caso haja gargalos ou falhas nesse processo, a qualidade de sua distribuição poderá ser afetada e, até mesmo, agregar custos desnecessários. Portanto, para entender melhor o que é picking e por que é tão importante otimizar esse processo na sua gestão de estoque, preparamos um post bem detalhado e com dicas práticas sobre o assunto.

Leia antes: Logística para e-commerces: os 8 conceitos mais importantes

Vamos direto aos pontos? Boa leitura!

Afinal, o que é picking?

Na linguagem logística, podemos traduzir o termo picking como o processo de separação de pedidos. Ou seja, é quando uma venda é realizada pela empresa e, então, os itens exatos são rastreados no estoque e separados para o carregamento.

Quase sempre, o processo de picking é seguido pelo de packing, que é o empacotamento ou montagem do kit, antes de ser carregado e entregue.

Vale destacar que há diferentes formas de se realizar o picking na gestão de estoque, seja manualmente, seja por meios automatizados por esteiras, transelevadores, sistemas de armazenagem etc.

Por que é tão importante otimizar o picking na gestão de estoque?

Na teoria, o processo do picking parece algo simples a ser realizado. Na prática, nem sempre é assim.

Afinal, não se trata apenas de receber os pedidos, separar os itens e seguir para a entrega. Muitas vezes, é preciso levar em consideração os métodos estabelecidos na gestão de estoque (FIFO, LIFO, FEFO etc.), especificidades do produto, tipo de operação, entre outros inúmeros pontos.

São justamente esses fatores que agregam uma complexidade ao processo de picking na logística de muitas empresas. Na prática, isso pode englobar:

  • carregamentos errados;
  • perda de tempo na separação de pedidos;
  • desperdícios e perda de produtos;
  • aumento de custos;
  • devoluções;
  • atrasos nas entregas;
  • retrabalhos.

Quais os principais tipos?

Há diferentes tipos de picking aplicáveis em uma gestão de estoque, desde processos mais manuais, até aqueles que utilizam sistemas e equipamentos automatizados.

Para exemplificar melhor, listamos alguns dos mais comuns a seguir:

  • picking discreto – quando os pedidos são separados um por vez. Reduz índices de erros, mas pode ser considerado lento para algumas demandas;
  • picking por onda – os pedidos também são separados um por vez, mas em diferentes períodos do turno dos operadores;
  • picking por lote – quando o operador espera acumular pedidos até uma determinada quantidade para iniciar a coleta;
  • picking por zona – leva em consideração uma separação de zonas dentro do armazém, no qual cada uma dessas áreas é responsável pela separação específica de seus produtos.

Como otimizar o picking em sua gestão de estoque?

Assim como em qualquer outro processo logístico, as soluções para o picking de uma empresa requerem análises, estudos e decisões por parte do gestor.

Sendo assim, em vez de uma “receita pronta”, busque soluções inteligentes e dinâmicas, conforme as necessidades de sua operação.

A seguir, destacamos algumas sugestões amplamente aplicadas para a otimização do picking na gestão de estoque:

Enfim, essas são algumas dicas essenciais sobre o que é picking e por que a otimização desse processo é tão fundamental para a gestão de estoque.

Se sua empresa busca mais soluções inteligentes para otimizar a logística de armazenagem, não deixe de conferir outros posts em nosso Blog. Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×