Direct-to-consumer é uma boa opção para sua operação logística?

Direct-to-consumer é uma boa opção para sua operação logística?

Que tal adotar um modelo de negócio com foco na entrega de experiências personalizadas ao consumidor? Melhor ainda se esta estratégia garantir maior engajamento do cliente, aproximando-o da sua marca, não é mesmo?

Pois estes são alguns dos objetivos do direct-to-consumer, ou DTC, que vem sendo adotado com sucesso no varejo. Sua empresa ainda não está adequada a este modelo de negócio?

Bem, então siga na leitura deste post, e entenda por que chegou a hora de considerar adotá-lo.

Saiba como funciona e quais são as vantagens de se utilizar o direct-to-consumer para se relacionar com seus clientes e assim, melhorar os resultados do seu negócio.

O que é o direct-to-consumer

O DTC é mais um desdobramento que a transformação digital implementou nas relações de negócios. Sendo assim, de forma resumida, podemos dizer que ele trata da relação direta da marca com o seu consumidor final, ou seja, sem a participação de intermediários.

Historicamente, as empresas dependiam das lojas de varejo para expor e vender seus produtos. Hoje, com o e-commerce, os marketplaces e as redes sociais, a realidade é outra. Marca e cliente estão em contato direto. Assim, o ato de negociar e vender se integrou à própria experiência do produto.

Ou seja, não se trata, apenas, de eliminar custos com intermediários no ciclo da venda. O DTC abre caminho para novas estratégias de fidelização do cliente. Permite à empresa estar mais próxima do seu consumidor, aumentar sua identificação com a marca e também o seu engajamento.

Vantagens do direct-to-consumer

Esta nova forma de se relacionar com o cliente garante alguns benefícios importantes à marca.

Melhores margens de lucro

Ao negociar diretamente com o consumidor, a marca ganha com a redução de custos. Ou seja, não há a figura do intermediário que, no modelo tradicional, por exemplo, termina absorvendo parte do resultado. Assim, é possível praticar preços mais competitivos, orientar melhor a logística, e oferecer outras vantagens ao consumidor.

Aprimorar a gestão de dados

No contato direto com o consumidor final a marca tem maior acesso às informações sobre seus clientes. E dados, você já deve saber, hoje são a base das estratégias de negócios. Aproveitá-las, obviamente, depende de como elas serão trabalhadas. Aqui também entra a área de Business Intelligence do seu negócio.

Oferecer a melhor experiência

Atuando por meio do direct-to-consumer, a marca elimina todos os intermediários entre ela e o consumidor. Assim, seu foco passa a ser 100% no cliente e nas estratégias para aprimorar a sua experiência de compra. Ajuda a conhecer melhor o consumidor e entender suas dores.

Ampliar a fidelização dos clientes

Ao relacionar-se diretamente com o cliente, a marca tem a possibilidade de obter um retorno de grande valor: a fidelização do consumidor. A intensidade deste retorno vai depender da qualidade da experiência proporcionada. Mas, sem intermediários, isso depende apenas das estratégias da própria marca.

Assim como os novos modelos de negócio proporcionados pela transformação digital, o direct-to-consumer é uma ferramenta que veio para ficar. Cabe a cada marca saber aproveitar todo o potencial da proximidade com o cliente que ela propicia.

Nosso post foi esclarecedor para você? Então, que tal acompanhar nossas redes sociais e manter-se atualizado sobre temas como e-commerce, lockers inteligentes e logística? Estamos presentes no Facebook, Instagram e LinkedIn.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×