Gestão financeira: Tudo que sua empresa deve considerar

gestão financeira

Se você é um empreendedor, não pode ignorar os números, cálculos e relatórios, mesmo que isso não seja sua função principal. Mas, com o tempo, você verá o quanto a gestão financeira é fundamental não só para a competitividade de sua empresa, mas também para a sua sobrevivência.

Geralmente, os empreendedores abrem seu próprio negócio porque identificaram uma oportunidade de mercado. Por isso, normalmente, entende da sua área de atuação, mas nem sempre domina a gestão da empresa.

Segundo o Sebrae, cerca de 1/4 das micro e pequenas empresas brasileiras encerram suas atividades antes de completar 2 anos. No estudo, a instituição aponta como principais fatores ligados à “morte” dessas empresas os erros quanto à gestão financeira, a falta de planejamento (ou planejamento ineficiente) e a pouca capacitação do empresário para o negócio.

Leia também: Entenda a diferença entre startup e pequena empresa

É por isso que uma boa gestão financeira é tão importante. É preciso gerenciar custos e entradas, estabelecer um preço competitivo que permita a empresa continuar funcionando, conceder descontos sem consumir o capital de giro, cortar gastos e assim por diante.

São muitas variáveis a observar e cada uma delas é fundamental para a sobrevivência e crescimento da sua empresa. É necessário ganhar intimidade com termos financeiros que, muitas vezes, não faziam parte do seu universo antes do negócio próprio.

Por isso, preparamos esse guia para você entender alguns pontos importantes sobre a gestão financeira do seu negócio.

Leia também: O que é startup unicórnio?

1. Controle do fluxo de caixa

O fluxo de capital é o resultado das entradas e saídas do caixa em um determinado período, por exemplo diário, semanal ou mensal. É por meio do fluxo de caixa que o empreendedor sabe a quantas anda o capital de giro da empresa, se o saldo das operações é positivo ou negativo e também fazer uma projeção para os próximos períodos (planejamento financeiro).

Controlar o fluxo de caixa é importante para que a empresa consiga cumprir todas as suas obrigações em dia, sem precisar recorrer ao crédito de terceiros como, por exemplo, bancos e fintechs.

É necessário anotar absolutamente todos os gastos e entradas de recursos para ter um bom controle do fluxo de caixa. Você pode optar pela planilha do Excel ou um bom software de gestão que pode elevar seu fluxo de caixa a outro nível, principalmente no momento do planejamento financeiro.

2. Gestão de pagamentos e cobranças

Manter a gestão dos pagamentos e cobranças em dia sempre ajuda a ter um bom fluxo de caixa. Aqui, as principais atividades envolvem negociar melhores prazos e datas para pagamento.

3. Gestão de capital de giro

A gestão do capital de giro é fundamental, por que, sem essa reserva, a empresa pode parar, mesmo que tenha recursos a receber no futuro. Para uma boa gestão desse item, é essencial conhecer o ciclo de capital de giro da sua empresa, ou seja, qual o prazo médio entre fazer a compra junto aos fornecedores e receber dos clientes.

O capital de giro permite que a empresa funcione, pois é o recurso com o qual o empresário pagará as contas e os funcionários ou fará a reposição do estoque, entre outras atividades do cotidiano empresarial.

4. Mensuração de resultados

Mensurar os resultados não só é necessário como obrigatório. Dessa forma, compreender o que deu certo e o que deu errado é essencial para entender o que aconteceu nos últimos períodos de funcionamento da empresa.

O fechamento mensal, por exemplo, que é uma forma tradicional de apuração de resultados, nele são reunidos e conferidos todos os documentos da empresa (trabalhistas, fiscais e contábeis), além das informações relativas ao estoque.

Conheça a HandOver – Guarda-volumes! Borá colocar as dicas em prática? Compartilhe este post nas suas redes sociais e ajude outros empreendedores.

Artigo produzido por Stefany Pereira
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×